quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Nauro Machado




Ofício

Ocupo o espaço que não é meu, mas do universo.
Espaço do tamanho do meu corpo aqui,
enchendo inúteis quilos de um metro e setenta
e dois centímetros, o humano de quebra.
Vozes me dizem: eh, tu aí! E me mandam bater
serviços de excrementos em papéis caídos
numa máquina Remington, ou outra qualquer.
E me mandam pro inferno, se inferno houvesse
pior que este inumano existir burocrático.
E depois há o escárnio da minha província.
E a minha vida para cima e para baixo,
para baixo sem cima, ponte umbilical
partida, raiz viva de morta inocência.
Estranhos uns aos outros, que faço eu aqui?
E depois ninguém sabe mesmo do espaço
que ocupo, desnecessário espaço de pernas
e de braços preenchendo o vazio que eu sou.
E o mundo, triste bronze de um sino rachado,
o mundo restará o mesmo sem minha quota
de angústia e sem minha parcela de nada.

*************************
Nauro (Diniz) Machado nasceu em São Luís do Maranhão a 2 de agosto de 1935. Um dos poetas brasileiros mais fecundos e importantes de todos os tempos, ainda esperando por uma devida consagração crítica e de público de sua imensa obra, com mais de trinta títulos até o momento. Filho de Torquato Rodrigues Machado — falecido — e de Maria de Lourdes Diniz Machado, tem dois irmãos: Mauro e Dauro. É casado com a escritora Arlete Nogueira da Cruz, com quem tem um filho, Frederico da Cruz Machado. Poeta autodidata, com formação de nível médio, tem um vasto conhecimento de filosofia e arte em geral, principalmente literatura e cinema. É fluente em língua francesa. Cursou o primário, ginasial e científico no Colégio São Luís, em sua terra natal, tendo feito um semestre, quando criança, no Colégio Mallet Soares do Rio de Janeiro. Morou sempre em São Luís, apenas saindo por breves períodos, sobretudo para o Rio de Janeiro, onde publicou boa parte de seus livros. É autor de mais de trinta títulos em poesia, com alguma incursão na crítica literária e ensaios sobre escritores maranhenses. Trabalhou como funcionário público em diversos órgãos, como SAM, SESP, Secretaria de Agricultura do Maranhão, EMATER, SIOGE, SURCAP, DETRAN e a Secretaria de Cultura do Maranhão. Dedicou a sua vida inteiramente à poesia, para ele uma questão ontológica, de definição do ser. Com grande e admirável fortuna crítica — a maior entre seus pares de geração —, é detentor de alguns prêmios relevantes, entre eles o Prêmio de Poesia da Cidade de São Luís, no qual foi laureado várias vezes, o da Associação Paulista de Críticos de Arte (1982), o da Academia Brasileira de Letras (1999) e o da União Brasileira de Escritores do Rio de Janeiro (2000). Seu nome é verbete em dicionários e enciclopédias nacionais e internacionais, incluído em inúmeras antologias brasileiras, com diversos poemas seus traduzidos para o alemão, inglês, francês e catalão, em revistas e antologias internacionais. Obras de Nauro Machado: Campo sem base (1958); O exercício do caos (1961); Do frustrado órfico (1963); Segunda comunhão (1964); Ouro noturno (1965); Zoologia da alma (1966); Necessidade do divino (1967); Noite ambulatória (1969); Do eterno indeferido (1971); Décimo divisor comum (1972); Testamento provincial (1973); A vigésima jaula (1974); Os parreirais de Deus (1975); Os órgãos apocalípticos (1976); A antibiótica nomenclatura do inferno (1977); As órbitas da água (1978); Masmorra didática (1979); Antologia poética (1980); O calcanhar do humano (1981); O cavalo de Tróia (1982); O signo das tetas (1984); Apicerum da clausura (1985); Opus da agonia (1986); O anafilático desespero da esperança (1987); A rosa blindada (1989); Mar abstêmio (1991); Lamparina da aurora (1992); Funil do ser (1995); A travessia do Ródano (1997); Antologia poética (1998); Túnica de Ecos (1999); Jardim de infância (2000); Nau de Urano (2002); A rocha e a rosca (2003); Pão maligno com miolo de rosas (2005).




elenco@germinaliteratura.com.br

1 comentários:

Renan disse...

Sei que não tem nada a ver com o que foi postado, mas por que vocês não aproveitam para divulgar o evento que vocês estão organizando aqui em São Luís no Potterish.com? Foi criada uma seção só para divulgar os eventos pelo Brasil. Aí como o Potterish é um site muito famoso entre os fãs de HP e esse vai ser o único grande evento de HP em São Luís,acho que seria legal.

 
Conheça o ScarPotter.com!